• SUA CONTA
    Selecione

CLUBES

ÁRBITROS

ATLETAS

Em manutenção, por favor, aguarde.





Classificação Funcional

Paradesporto

Consiste na categorização recebida pelos atletas em função da capacidade de realizar movimentos, evidenciando as potencialidades dos resíduos musculares, de sequelas de algum tipo de deficiência, bem como os músculos que não foram lesados.

A avaliação é feita através de teste de força muscular, teste de coordenação (realizado geralmente para atletas com paralisia cerebral e desordens neuromotoras) e teste funcional (demonstração técnica do esporte realizado pelo atleta). Os classificadores analisam o desempenho do atleta considerando os resultados obtidos nos testes.

Para provas de campo (arremesso, lançamentos e saltos)

  • F – Field (campo)

    F11 a F13 – deficientes visuais

    F20 – deficientes intelectuais

    F31 a F38 – paralisados cerebrais (31 a 34 para cadeirantes e 35 a 38 para ambulantes)

    F40 – anões

    F41 a F46 – amputados e outros (les autres)

    F51 a F57 – competem em cadeiras  (sequelas de poliomielite, lesões medulares e amputações)

Para provas de pista (corridas de velocidade, fundo e saltos)

  • T – track (pista)

    T11 a T13 – deficientes visuais

    T20 – deficientes intelectuais

    T31 a T38 – paralisados cerebrais (31 a 34 para cadeirantes e 35 a 38 para ambulantes)

    T41 a T46 – amputados e outros (les autres)

    T51 a T54 – competem em cadeiras (sequelas de poliomielite, lesões medulares e amputações)


A classificação é a mesma para ambos os sexos. Entretanto, os pesos dos implementos utilizados no arremesso de peso e nos lançamentos de dardo e disco variam de acordo com a classe de cada atleta.

www.cpb.org.br/esportes